Empreendedorismo Inovação

Inovação e empreendedorismo: uma questão de mindset

Os portugueses são ou não são inovadores? Como promover a inovação e o empreendedorismo em Portugal? Que ações podem os cidadãos empreender para promover a inovação no país?

By

Somos ou não somos inovadores? O que define se um país ou uma empresa se pauta pela inovação? Quando percorremos alguns sites do setor empresarial em Portugal, não raras as vezes, encontramos mensagens alusivas à inovação, no que diz respeito à missão e valores de uma organização.

Recentemente, assisti a uma sessão sobre inovação, que de inovadora tinha muito pouco: desde as definições comuns, aos exercícios já conhecidos e utilizados em sessões sobre o tema, não houve nada de novo ou quase nada.

A inovação tem-se tornando um tópico comum, que, tal como o empreendedorismo, se tornou numa buzzword. E já para não falar da disrupção. Mas não vamos tão longe, por agora.

Inovação e Empreendedorismo

Inovação passa por trazer coisas novas ao que já existe, e/ou criar coisas novas. Mas, tal como no empreendedorismo, na inovação o mais importante é o mindset.

O empreendedorismo passa por identificar necessidades de mudança, criar novas oportunidades (e não tem de ser necessariamente um novo negócio), estabelecer sinergias e assumir uma forma de estar, de cocriar, de colaborar e acrescentar valor.

Fazendo o link, encaro os empreendedores como agentes de mudança, com capacidade de criação e geração de ideias inovadoras. Inovar passa por antecipar soluções, ter iniciativa e, essencialmente, dar resposta a problemas. Sim, empreendedorismo e inovação devem andar de mãos dadas.

O ecossistema empreendedor em Portugal está vibrante, disso ninguém tem dúvidas. Basta acompanhar os eventos e notícias constantes à volta deste tema.

 

Os portugueses são ou não são inovadores?

Mas voltando à questão inicial, os portugueses são ou não são inovadores? Se por um lado há demonstrações que sim, pelos vários prémios que empresas portuguesas têm alcançado recentemente (cito um exemplo recente da Outsystems que ganhou, pelo terceiro ano consecutivo, o prémio de “Melhor Solução para Desenvolvimento Mobile”), por outro, no “Painel Europeu da Inovação de 2018” da Comissão Europeia, Portugal surge no grupo de Inovadores Moderados. Isto significa que existe um longo caminho a percorrer para colocar Portugal numa posição de maior destaque a este nível.

Recentemente, na apresentação das novas medidas do programa Startup Portugal para promover o empreendedorismo, o primeiro-ministro, António Costa, referiu que a inovação “tem de ser uma política prioritária transversal a todas as áreas do Governo”. E isto aplica-se também ao país e de forma geral às empresas, nos mais diversos setores no domínio público e privado. Mas o mais importante, começa na formação das pessoas, os ativos mais importantes para promover e fomentar a cultura de inovação. Esta, deve começar desde cedo, nas escolas, com programas e iniciativas que visem a capacitação e desenvolvimento de novos projetos e resolução de problemas. Pensar fora da caixa, quando na verdade a caixa já não existe. Faz sentido?

 

Iniciativa para promover a Inovação e o Empreendedorismo em Portugal

A plataforma “Portugal Agora”, à qual me associei recentemente, pela sua capacidade de atração e postura inovadora, assume-se como um player que promove iniciativas em várias dimensões estratégicas – Atratividade, Conhecimento, Empreendedorismo.

E se cada um de nós, enquanto cidadãos, se associar a uma entidade/plataforma/associação que agregue valor à comunidade, ao seu trabalho, ao seu projeto de vida e ao país, então já estamos a ser inovadores e empreendedores. Lanço um desafio, em jeito de reflexão, de que forma o leitor pode promover a inovação e empreender ações que tornem o país mais atrativo?

You may also like

%d bloggers like this: